domingo, 26 de julho de 2009

AS CRÔNICAS DE DOMINGO

Domingo é dia das famosas revistas de domingo. E com elas as ótimas crônicas e críticas de tudo que rolou durante a semana.

To postando aqui duas das que mais me chamaram atenção e valeram minha leitura. A primeira é da maravilhosa colunista Cláudia Cecília que nos brinda mais uma vez com um excelente texto e uma excelente crítica a tudo que rolou essa semana no mundo dos famosos. Já a segunda, da jornalista Patrícia Villalba fala um pouco sobre a polêmica e maravilhosa minissérie “Som e Fúria”.

Leiam e reflitam sobre esses textos que alegram e tornam nossos domingos bem mais reflexivos e intelectuais. E domingo que vem tem mais, afinal uma nova semana se inicia e com ela uma série de novos acontecimentos nesse mundo louco em que nós vivemos e que nunca para. Beijos e bom domingo pra vocês...

“MAIS FOFOCA DO QUE A GENTE PRECISA:

Foi uma semana intensa no mundo das celebridades. E nós, que não vivemos sem elas, tivemos praticamente uma overdose de factóides, do tipo muito, mas muito mais informação do que de fato precisamos. Os mais sérios, que acham que o mundo está perdido diante de tantas notícias frívolas, diriam que na verdade não precisamos de quaisquer das informações vindas do mundo particular dos famosos, o que nós, os que adoramos uma fofoca e os que vivemos- profissionalmente- disso, discordamos, claro. Mas que há um momento em que a coisa perde o rumo, ah, isso lá é verdade. E foi essa a sensação que tivemos esses dias. Quer dizer, eu tive, vamos ver se vocês concordam.

Começamos com o incrível universo dos ex Big Brothers, que não nos decepcionam nunca. Então Fran saiu dizendo o que provavelmente metade do país já desconfiava: Max não era exatamente esse furor sexual que fizeram parecer. Pelo menos não com ela, do sexo feminino. Sim, a moça deu a entender(sem trocadilho) que o dono do prêmio de 1 milhão de reais é homossexual e , numa boa, na minha modesta opinião, esse é o degrau mais baixo que uma mulher pode chegar. Enfim, acabamos descobrindo, sem que ao menos tivéssemos perguntado, que a pobre Fran não teve suas fantasias sexuais realizadas. Já a colega de programa Fani- aí vem mais uma-, em vez de cgorar pitangas resolveu contar que gosta de meninos e meninas e que a mãe dela a odiou até os 14 anos. E tudo isso junto mudou nossas vidas desses dias para cá, não? Não vejo a hora de comprar o livro de Fani para saber porque o ódio materno acabou justamente aos 14 anos e não aos 15 ou 13, estou intrigadíssima com isso.

Para manter o nível(baixo) das celebs, como chamam as revistas estrangeiras, também teve Dado Dolabella contando na Fazenda que tinha o curioso e quase inocente hábito de roubar tênis na adolescência. E que num único dia roubou sete pares, até ser pego por um segurança. Questionada, dona Pepita Rodrigues, a mãe, se preocupou apenas em esclarecer que o outro filho pagou toda a dívida do irmão. E assim se resolve a delinqüência de um filho. E assim conseguimos acabar de montar a imagem que temos dessa grande figura humana chamada Dado Dolabella. Eu, particularmente, não precisava de mais esse item no currículo do moço- minha opinião já estava formada há tempos. Esse bom irmão, aliás, deve ser o mesmo que na pré-adolescência, vestido com touca ninja, invadiu e roubou a própria escola, na Zona Sul, quando o pai ainda era vivo. Grande família.

Já bastante satisfeitos, imagino, com tudo o que lemos e ouvimos, ainda fomos agraciados com a Betty Faria defendendo em seu blog que a maconha seja vendida em vasinhos como uma plantinha qualquer. E que a erva poderia ser muito bem um tempero ou um chá, que encontrássemos em qualquer boa casa do ramo. Sem entrar no mérito da legalização ou não da droga, fiquei imaginando quão fofo seria ver pezinhos de cannabis nas floriculturas da cidade. E tive vontade de perguntar à atriz onde foi que ela tomou chá de maconha, porque essa eu nunca ouvi. Ah, e a outra pergunta que não quer calar é: quem, meu Deus, lê o blog da Betty Faria?

E todo o noticiário semanal dos notáveis acabou em melancolia, com Caetano Veloso falando sobre envelhecer. Sim, até o cantor baiano essa semana nos deu imagens, como uma amiga costuma dizer, revelando que, com o passar dos anos, sente falta “do jato de urina forte” e “das ereções firmes”. E tive ímpetos de fechar os olhos para não imaginar nenhuma das duas situações, uma vez que mitos são mitos e nem eles próprios têm o direito de se derrubar.

Bem disse a Maitê Proença que agora não tem mais opinião sobre nada e que não dá mais declarações que não lhe interessem. Assim, não corre o risco de ser responsabilizada por nossa crise de excesso de informação estranha.”

“SOM, FÚRIA E A PREGUIÇA E SONO DO TELESPECTADOR: ESPECTADOR RECLAMA DO HORÁRIO EM QUE A MINISSÉRIE DA GOBO FOI AO AR-

Vira e mexe, quando tenho chance, freqüento as áreas de comentários dos sites e blogs sobre TV. É uma maneira instantânea e eficiente, mas um pouco desoladora, de saber o que andam falando sobre isso e aquilo- só para não ficar restrita às conclusões tiradas pela minha mãe e minha tia Irene, que só gosta dos núcleos de gente rica nas novelas.

Digo que é uma experiência desoladora porque a gente se depara com todo tipo de boboca emitindo opinião sem pudor nos espaços “deixe seu comentário”. O que as pessoas pensam a respeito de certas coisas é realmente surpreendente.

Tem gente dizendo que a Duda(Tânia Khalil), de “Caminho das Índias”, merece ficar com o Raj(Rodrigo Lombardi), sem nem pensar no que será do pobre doutor Lucas(Murilo Rosa)- numa dessas, ele acaba a novela com a Deva(Cacau Melo).

Mas fiquei passada mesmo quando li montes de críticas sobre a série “Som e Fúria”. Passada não por haver críticas, mas pelo que se critica da série em si. O horário em que o programa foi ao ar(entre 23h30 e meia-noite) é o campeão das reclamações, o que só pode significar que o povo dorme com as galinhas.

Essa gente que dorme cedo também chama o tema do programa, os bastidores do teatro, de elitista. O que só reforça a piada central do roteiro, sobre uma companhia de teatro que tenta sobreviver nos tempos atuais, quando os assinantes de suas temporadas estão morrendo de velhice. Muitos elogiaram, mas os que não conseguiram entender as referências ao meio artístico e a Shakespeare parecem irritados. Preguiça, só pode ser.

Tudo isso pode explicar o Ibope obtido pela série, uma média de 16 pontos, onde se esperavam 20 ou mais. Quem não viu, perdeu( ou ainda pode ver pela Internet, oba) um dos programas mais bem escritos e interpretados dos últimos tempos. Pode ser que os ratos de teatro tenham rido mais, entendido mais. Mas tirado o pano de fundo do Teatro Municipal, a série tinha todo tipo de relação humana básica, do mesmo tipo que alimenta Shakespeare, Machado de Assis e Aguinaldo Silva.

Sem contar com o insuportável didatismo que a maioria das novelas precisa ter para se fazer entender, o telespectador com sono confunde raciocínio elaborado e sutileza com “coisa de gente metida a besta”. Nesse balaio, telespectadores que se manifestam na web põem também Capitu, de Luis Fernando Carvalho- um deles, aliás, termina o recado mandando um “beijo para a Mirella”, a mulher de Latino eliminada de “A Fazenda”.

Semana que vem tem mais. Ótima semana pra vcs...

quinta-feira, 23 de julho de 2009

FINALMENTE: REVELADO O PRIMEIRO TRAILER DE "ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS" DE TIM BURTON

A palavra surpreendente é como se pode resumir o primeiro e mais esperado teaser trailer de "Alice no País das Maravilhas", versão dirigida por Tim Burton.
Logo de início temos Johnny Depp narrando o trailer com a seguinte frase: "Há um lugar como nenhum outro na Terra… Alguns dizem que, para sobreviver ali, você deve ser um chapeleiro. O que, felizmente, eu sou."

Em seguida vemos Alice caindo do buraco e chegando ao país das maravilhas. Além dos personagens já apresentados, vemos pela primeira vez no trailer o gato risonho, que também acaba sendo usado de modo criativo para anunciar a data do lançamento do l0nga-metragem.

Vendo esse trailer acho até que Tim Burton, desde que começou a dirigir filmes, já devia estar planejando fazer algo com a obra clássica de Lewis Carrol, só esperando que as técnicas cinematográficas estivessem avançadas o bastante para fazer a coisa direito. Stop motion é legal? Sim, mas o que Burton está fazendo em Alice no País das Maravilhas vai além de suas experiências bem sucedidas com O Estranho Mundo de Jack e a Noiva Cadáver. É tudo literalmente maluco, uma hora parece um desenho animado, outra hora um filme. Tudo pontuado por cores belíssimas e cenários estranhamente bonitos.

O trailer lindão mostra bem isso. Temos o coelho branco, a Rainha Branca e toda essa leva de personagens estranhos. Tudo narrado e amarrado pelo Chapeleiro Louco mais bizarro impossível!

Bem chega de palavras, curtam o trailer de "Alice no País das Maravilhas" que chega aos cinemas dos Estados Unidos dia 10 de Março e no Brasil apenas dia 16 de Abril.

video

sexta-feira, 17 de julho de 2009

ANIMA MUNDI 2009 TRAZ ESPECIAIS DE "CORALINE" E "BOLT-SUPERCÃO"

Dica para quem vai conferir o Anima Mundi 2009. Mostras especiais com bate-papo com profissionais dos filmes. Veja dois destaques:

A LAIKA traz uma apresentação especial de sua produção "CORALINE". Roteirizada e dirigida por Henry Selick ("O Estranho Mundo de Jack" e "James e o Pessego Gigante") - e baseado no livro de Neil Gaiman - Coraline, é o primeiro longa-metragem de stop-motion filmado e exibido em projeção estereoscópica 3D, cujo DVD está sendo lançado.

Antes de uma sessão do longa, teremos um bate-papo com Scott Tom, construtor de bonecos (trazendo alguns dos bonecos feitos por ele para o filme), e Mike Cachuela, co-supervisor de storyboard (veja na página workshop profissional).

Inspirado no premiado romance infanto-juvenil de Neil Gaiman, "Coraline" tem a estrutura narrativa e a atmosfera sombria das fábulas infantis tradicionais, como as dos irmãos Grimm. Segundo Henry Selick: "Alguns filmes da Disney, como "Branca de Neve", "Pinóquio" e "Alice no País das Maravilhas" exploram o medo com muita eficiência.
Esse tipo de filme nos conecta com a tradição de contar histórias assustadoras em torno da fogueira."

Mesmo tendo que atender à complexidade de uma produção para projeção 3D, Selick decidiu manter a estética do stop-motion, porque "essa técnica é imperfeita, o trabalho é tocado pela mão do artista, você sente a força da vida. É impossível atingir a perfeição."

Henry Selick (foto) nasceu em 1952, em Glen Ridge, Nova Jérsei. Começou a desenhar ainda criança, quando costumava dizer que tinha uma outra família na África. Foi nessa época que viu pela primeira vez os filmes de stop-motion de Ray Harryhausen. Formou-se na CalArts, onde conheceu Tim Burton, e depois trabalhou na Disney com Glen Keane onde dirigiu os longas-metragens "A Nightmare Before Christmas" (1993), de Tim Burton, e "James and the Giant Peach" (1996), além do curta-metragem "Moongirl".
Scott Tom trabalhou com todos os aspectos da fabricação de bonecos e cenários para a animação stop-motion nos últimos 12 anos. Coordenou departamentos de fabricação de bonecos em programas de TV e comerciais, como "Gary & Mike" e "Robot Chicken". Em "Coraline", foi chefe de fabricação de bonecos.

Rio de JaneiroData: Sáb 18/julho às 21hLocal: Praça Animada
São PauloData: Qua 22/julho às 21hLocal: Memorial Sala 2

"Bolt" (Making of)
Os Estúdios de Animação Walt Disney dão vida à imaginação através de filmes de animação tradicional e digital. Uma equipe talentosa e diversificada, de todos os cantos do mundo, compartilha a paixão pela criação de filmes belos e memoráveis por meio da arte de narrar, da magia da animação e da tecnologia de ponta.
Explore o processo de criação do personagem principal de "BOLT", com Renato dos Anjos (Supervisor de Animação) e Leo Sanchez-Barbosa (Modelador de Personagem). Bolt é um herói dos tempos modernos, que cresceu no set de um programa de televisão e acha que tem poderes incríveis - como um Super Latido devastador! Os animadores irão falar sobre a criação de Bolt desde o conceito de design original ao seu final de superherói!

Rio de JaneiroData: Ter 14 julho às 21hLocal: Praça Animada
São PauloData: Sex 24 julho às 21hLocal: Memorial Sala 2


quarta-feira, 15 de julho de 2009

A NOTÍCIA DO DIA: DISNEY VAI RELANÇAR"A BELA E A FERA" NOS CINEMAS EM 3D

Sim, está confirmado!

"A Disney confirmou esta semana que o clássico "A Bela e a Fera" será relançado nos cinemas em versão 3-D estereoscópica (precisando de óculos especiais) em 21 de maio de 2010.

O produtor original Don Hahn e os diretores Kirk Wise e Gary Trousdale estão usando os arquivos digitais originais para renderizar o filme em 3D, num processo que deve durar 10 meses. Segundo Hahn, eles estão voltando aos arquivos de animação originais, que foram guardados cuidadosamente por 17 anos e estão separando cenários, efeitos e elementos da animação dos personagens, para uma experiencia 3D única e divertida para os antigos e novos fãs do filme.

Seguem as informações: O clássico animado mágico da Walt Disney Pictures A BELA E A FERA volta às telas do cinema em Disney Digital 3D™, apresentando toda uma nova geração de clássicos Disney através de novas e impressionantes imagens 3D.
O filme conta a fantástica história de Bela (voz de PAIGE O’HARA), uma jovem bela e brilhante que se torna prisioneira de uma fera malvada (voz de ROBBY BENSON) em seu castelo. Apesar da terrível situação, Bela se torna amiga dos habitantes do castelo encantado — uma xícara de chá, um candelabro e um relógio, entre outros - e, por fim, aprende a ver além do exterior da Fera e descobre o coração e a alma de um príncipe.

Apresentando músicas inesquecíveis de Howard Ashman e Alan Menken e um elenco de voz talentoso, A BELA E A FERA foi o primeiro - e único - longa-metragem de animação da história do cinema a receber uma indicação ao Oscar® na categoria de Melhor Filme."

Nossa, rever "A Bela e a Fera" nos cinemas será perfeito...
Mal posso imaginar a emoção que será entrar em um cinema e rever esse filme que marcou a minha vida e a minha infância há 20 anos atrás...Com certeza será uma experiência única!

Parabéns para a Disney que sempre se preocupa em relançar seus clássicos nos cinemas de tempos em tempos para que as novas gerações possam conhecê-los e viver tudo o que a minha geração viveu. Acho lindo poder rever seus filmes favoritos nos cinemas de tempos em tempos...

E "A Bela e a Fera" é mesmo a melhor cobaia para essa experiência. Além de ser um dos animados mais queridos pelo grande público, tem um visual que propicia a aplicação da tecnologia 3D. Imaginem a cena do baile na nova tecnologia, deve ficar espetacular.
Nem me fala... a cena do baile... vou me emocionar...com certeza...

sexta-feira, 10 de julho de 2009

HORA DE PEGAR O LAQUÊ: HAIRSPRAY ESTRÉIA HOJE NO RIO DE JANEIRO


Espero poder ver o musical.... eu adoooooro o filme...